12.12.06

Capítulo 52: (Ricardo)

_ Não vai fazer nada hoje?_ Fátima varreu o chão próximo a cama onde eu jazia.
_Estou cansado.
_De não fazer nada?
_Como de não fazer nada? Eu me matei a semana toda!
_Ah!Sim, é verdade, me referia a ontem que você bebeu o dia todo. Sábado era dia de futebol com os amigos de manhã...
_É..._ não contestei.
_Você vai terminar igual o seu pai._ ela comentou levantando as sobrancelhas e fazendo ar de pesar. Balançou a cabeça para os lados.
_Não vou não!_sentei-me em um pulo, aquilo fora uma ofensa.
_Ora!_ pôs as mãos na cintura. _ Você virou um cachaceiro..._ começou a enumerar nos dedos._Só vive agora pensando em multiplicar dinheiro, já trocou até o carro, já perdeu a mulher que ama...
_Perai, perdi coisa nenhuma...
_Perdeu!_ ela gritou comigo e apontou o cabo da vassoura para minha cara._ As pessoas não são as coisas, que a gente deixa em um lugar e depois podemos voltar para buscar que elas estarão ali!_ explicou-me sem nenhuma delicadeza._ Daniela é uma mulher de ouro, não é uma bolsa de valores, onde você perde aqui e ganha ali na frente, fazendo seus clientes felizes!
_Ah!Não me amola..._ levantei-me e me arrastei até o sofá. Liguei a televisão.
_Agora só faz isso, só vê televisão. Parece um garoto desocupado, na flor da idade.
_Fátima, me dá um tempo!
_Você devia pedir isso à Daniela..._ comentou atrás de mim.
_Ela deixou um bilhete dizendo que não me ama mais, que não agüenta mais ficar ao meu lado. Eu já estou cheio de todos me deixarem...
_A Dani gosta de você sim, ela só não gosta do que você se tornou. Porque você se acabou, se entregou! Nem a barba faz mais...
_Eu já disse, me matei de trabalhar a semana toda e agora quero ficar relaxado, curtindo meu domingo, posso?
_Pode..._ ela deu de ombros e passou um pano na mesa de centro._ Quando disse que deveria pedir um tempo para Dani, é porque ela vai voltar para os Estados Unidos, sabia?
_Do que você está falando...?_perguntei entre os dentes, tentando não demonstrar o quanto aquilo surtira como um golpe.
_Isso mesmo. Ela foi à embaixada ontem... Aquele antigo chefe dela conseguiu uma bolsa de estudos para ela. A menina merece mesmo...
_Onde ela está morando? Na sua casa?
_Para que quer saber, não deu bola até agora...
_Anda, fala!_ levantei.
_É, está lá... Mas não sei se vai encontrá-la lá. Ficou de ir à praia com o Marcos.
_Eles dois estão juntos?
_Estão e acho que ela está mais que certa. Deu bobeira, babau!_ Fátima deu-me uns tapinhas na bochecha.
Procurei a chave do carro no bolsa da minha outra calça. Joguei uma água na cara e abri a porta para sair.
_Vai assim todo desleixado?_ criticou-me.
_..._ olhei-me de jeans e camiseta amaçada._Vou!
Já fiz sinal para o carro abrir a porta ao sair do elevador. Estava com pressa. Liguei o som alto e cantei o pneu no estacionamento.
Como Fátima advertira, eu não a encontrei em casa. Mas esperar não seria tão torturante, aceitei a proposta do filho dela e ficamos vendo vôlei de praia que passava na tv da sala.
Daniela chegou três horas depois, toda bronzeada e rindo sozinho. Parecia ter luz própria. Mas quando me viu esse brilho diminui e o sorriso morreu:
_O que faz aqui?_ deixou a bolsa em cima da mesa e foi até a cozinha, sem a menor cerimônia de me dar às costas.
_Eu vou nessa, cara._ o filho de Fátima deu-me um cumprimento de mãos e saiu.
Caminhei até a cozinha e a encontrei tomando água. Apoiei minhas mãos na pia:
_Soube que você vai embora...
_As notícias boas correm rápido tanto quanto as ruins?_ ironizou e colocou de volta a garrafa na geladeira.
Seu corpo estava lindo, com os pêlos dourados, a calcinha do biquíni visivelmente enfiada entre sua bunda redonda e perfeita, sob o fino short. Ela saiu rebolando e eu entendi que ia ter que seguí-la, se quisesse travar um diálogo com ela.
_Ricardo, para que você veio? Porque se for para dizer que sim, já era._ ela adiantou-se e bateu a porta na minha cara quando entrou no banheiro.
_Você conseguiu uma bolsa de estudos, que bom...
_É. De seis meses. Mas se eu for bem, pode ser que eu fique._ mostrou que estava decidida a ir.
_E se eu dissesse que não queria que fosse?_ falei, quando ela abriu a porta.
_Ricardo, porque você não ouviu quando tantas vezes eu também disse coisas? Disse para você parar de beber, disse para você prestar atenção em mim, que todo dia ficava em casa de esperando feito uma idiota, disse para você se cuidar mais, olha para você? Esse realmente não é o cara que eu conheci. E esse eu não quero. E esse não é o cara por quem valha a pena ficar!
_Obrigado!_ironizei._ Eu me senti péssimo agora. Satisfeita? Eu quero que fique...
_Não percebe? Perdeu seu orgulho próprio._ balançou a cabeça para os lados, entrou no quarto.
_Dani a gente não pode acabar assim...
_Eu não posso me acabar! E não vou!_ Ela abriu uma pasta azul que estava em cima do criado mudo._ Está vendo isso? Minha passagem. Está vendo isso? Meu passaporte. E isso sabe o que é? Sabe o que significa esse papelzinho aqui? Eu posso entrar legalmente lá!_ deixou tudo cair sobre a cama.
_Você não pode fazer isso comigo.
_Eu já fiz. _ falou.
_Dani eu faço qualquer coisa para que fique. Eu amo você, você sabe disso.
_A gente não pode amar só para gente, a gente tem que provar isso todos os dias. E nosso fim não tem nada a ver com aquelas cenas de filme, em que o cara chega no aeroporto e pede para a menina ficar e ela fica. Porque se você resolver aparecer lá, estará perdendo seu tempo, porque eu vou entrar naquele avião.
_Você não me ama?
_..._ ela lambeu os lábios, suspirou, olhou para cima._É, eu amo. Mas antes eu amo a mim mesma.
_Então?
_Então, mude, mude para sobrar algo em você para alguém amar.
_Eu mudo. Mudo o que você quiser!_abri os braços, vencido, rendido.
_Essa mudança leva um tempo, Ricardo e eu não vou estar aqui mais para esperar esse tempo. Agora me deixa sozinha e..._ a voz dela embargou._...Vai embora. Eu tenho um encontro e preciso me arrumar.
Eu tinha que ir, mas minhas pernas perderam a sustentação. Passei a mão na nuca.
_Quando é que eu vou te ver pela última vez?
_Agora... Eu parto daqui a dois dias.
Caminhei até ela e passei a mão no seu rosto, ela não rejeitou:
_Não foi nada fácil para mim. Eu fui traído, eu perdi a filha que nem era minha, eu traí a minha mulher e no meio disso tudo a única lembrança boa foi você. Só não esqueça isso, eu não vou desistir. Se você pensa que vai para lá e vai conseguir me tirar da cabeça, me arrancar do coração, fugir de mim, está perdendo seu tempo, porque não vai._ dei as costas e sai.


***
Chegando em casa, encontrei Fátima se arrumando para ir embora. Estava na sua hora. Ainda dava tempo de chegar em casa e almoçar com a família:
_Deixei uma lasanha no forno para você._ falou.
_Ela está decidida mesmo._ suspirei e sentei no sofá. _ Eu não estou acreditando.
Ela sentou-se ao meu lado no sofá e deu um tapinha no meu joelho.
_Meu filho, a vida é longa..._ ela deu uma risada._... a batalha não acabou. Só que dessa vez você vai ter que esperar.
_Mas eu não quero esperar, eu quero que ela fique comigo. Eu amo aquela mulher.
_Ricardo, nós vamos caminhando por aqui..._ começou a desenhar um caminho invisível na minha perna sobre o jeans da minha calça._ Aí decidimos tomar atitudes que nos levam para cá._ desenhou uma curva._ E não podemos voltar atrás para pegar aquele outro caminho. Você terá que seguir em frente, porque de curva em curva, nós encontramos de novo aquele caminho que deixamos de seguir um dia. Enquanto isso você vai aprender muito a dar valor a algumas coisas, a deixar de dar valor a outras. E tudo que aprender irá te ensinar a perdoar as pessoas...
_Onde está querendo chegar?
_O encontro das pessoas não é à toa. Mas os desencontros, na maioria das vezes somos nós que provocamos...E para voltar a trilhar aquele antigo caminho pode ser que leve muito tempo. Às vezes, leva algumas vidas.
_Lá vem você com esses misticismos, eu não acredito em nada disso. Sou pragmático.
_Tudo bem... Cada um entende de uma forma e talvez isso explique porque uns sofrem de mais angústias do que outros...
_Sua ex-esposa e seu Guimarães se amam, eles estão há muito tempo para se reencontrarem. Não foi de uma boa maneira que isso se deu, mas foi chegada a hora.
_E quando eu vou reencontrar Daniela?
_Ninguém tem essa resposta. A única coisa que sabemos é que não se pode impedir as pessoas de seguirem o caminho que elas querem seguir._ Fátima deu-me um beijo na cabeça e saiu.

11 comentários:

mercia disse...

bela lição!!
mas quero que os dois fiquem juntos.... vamos ver o q vai acontecer!!!!
muito bom! bjos

autora disse...

pois é. O Ricardo precisa saber dimensionar o verdadeiro valor das coisas...
mas e a Dani, tá certa tb?
beijos leitores!

Emmanuel disse...

Li, prá mim a Dani está certíssima... Amar não é somente passar a mão na cabeça... Com essa atitude ela fez com que Ricardo acordasse do marasmo ao qual havia se entregado... Ele vai ter oportunidade dele... Mas vai ter que conquistá-la...

eliane disse...

Pois é... Os homens ficam falando que a relação tende ao comodismo... mas pô será que eles também não contribuem para isso quando acham que o jogo tá ganho? Isso claro também vale para as mulheres. Beijos Emmanuel!

Ana Paula disse...

a Dani esta certinha!!! mesmo sofrendo e amando o Ricardo, ela foi cuidar da vida dela!!! ela é um exemplo!!!!

ThAíS! disse...

To aflita!
Queria ser como a Dani...

blogstars.com.br disse...

Gostariamos de convidar este Blog a se tornar um BlogStars ( não requer cadastro ) - Confira no site www.blogstars.com.br !

Cel disse...

Cd o próximo capítulo?!?!?
:))))
Beijos!

cris disse...

é..se mais mulheres tivessem a coragem da Dani ...o mundo seria mais feliz..:)
e pois é..homem tbem sofre por amor..e eu concordo..os desencontros sao provocados por nós...abracos

autora disse...

Leitores amados, perdoem-me pelo time que dei no fds para namorar um pouquinho, afinal, preciso me recarregar ehhee e já já verão os dois últimos capítulos.
Beijos!!!

Anônimo disse...

*momento de tensão - estou sem ação* !!!!!!!