10.11.06

Capítulo 37: (Daniela)

_O que você está fazendo aqui?_ ouvi Fátima falando alto na cozinha. Sai do quarto para verificar e me surpreendi quando dei de cara com Guimarães, em pé, na soleira da porta.
Ele estava tentando explicar que só queria falar comigo.
_Tudo bem, pode deixar..._ pedi para ela não se indispor, que eu falaria rapidamente com ele e este iria embora antes que Ricardo pudesse chegar.
Caminhamos em direção ao jardim e lá sentamos. Os dois com o mesmo sentimento de derrota.
_Esse rosto inchado e roxo é o que estou pensando?_ perguntei, já imaginando que Ricardo devia ter ido à casa de Guimarães ontem tirar satisfação.
_Sim, é. Ele foi tentar me matar. _ ironizou._ mas isso não mudou o que vivemos, não apagou o que aconteceu entre eu e a mulher dele.
_O que você queria comigo?_ perguntei, curiosa.
_Eu queria pedir desculpa..._ falou aquilo com pouca convicção, acho que na realidade ele estava meio cansado, sozinho, perdido e só eu poderia entendê-lo.
_Pagamos um preço, quando amamos a pessoa errada._ comentei, olhando para as árvores, minha voz não tinha força.
_Eu perdi meu melhor amigo. O cara que sempre foi meu irmão entrou na minha casa e me socou com toda força. Eu deixei, porque eu sabia que merecia...
_Ele foi violento comigo também._ confessei. _ Eu vou embora daqui, não tem mais espaço para mim... Eu preciso te pedir uma coisa.
_Claro, o que quiser._ ele olhou-me ansioso por poder me retribuir todos os favores que lhe fiz.
_Eu quero arrumar um emprego. Aí, poderei pagar um aluguel.
_Pode deixar, isso é fácil. Sabe aquela menina do escritório, a Roberta, Betinha? Ela quer alguém para dividir o apartamento com ela. A menina que dividia saiu. E o emprego... Hum, tem um empresário que está precisando de uma secretária bilíngüe, vou te indicar.
_É incrível como vocês dois se parecem... Conseguem resolver tudo num passo de mágica.
_Nem tudo..._ consertou.
Guimarães foi embora, meu problema estava resolvido, mas meu coração continuava esmagado, destruído. Deitei no sofá e fiquei abraçada à almofada calculando que rumo eu iria tomar da minha vida.
Ricardo chegou de noite e foi direto para o quarto, nem dirigiu seu olhar para mim.
Lembrei das cartas de tarot. De fato cá estava eu diante do grande rompimento.

4 comentários:

Ana Paula disse...

sinistro heim Li!! tadinha da Dani!!!!!

aalinee disse...

oh caramba.
Se bem que nada pior que o sentimento de perda que ele vai sentir depois que ela partir.
Por mais ferido que ele esteja...dói estar sozinho.

Sempre

Cel disse...

Li, vc n pode separar os dois! :)))))
Escreve logo o próximo capítulo!
Beijos!

Emmanuel disse...

Pois é Li... Se existe mesmo amor entre esses dois personagens, a harmonia entre eles vai ser restabelecida... mesmo que isso signifique que um dos dois tenha que renunciar... Somente renuncia aquele que ama verdadeiramente... Vamos aguardar!!! Bjs