11.11.06

Capítulo 38: (Ricardo)

Quando cheguei ao escritório, nessa sexta-feira, todos estavam reunidos diante da televisão. Essa cena eu só vira antes, no 11 de setembro. Geralmente, a tela fica ligada, com um som quase inaudível, fazendo parte da mobília do ambiente. Mas dessa vez parece que algo muito importante ocorria.
-Um homem seqüestrou o ônibus 499, em Nova Iguaçu._ Valter, o officeboy contou-me, apontando para a imagem._Ele tá com um 38 na cabeça da ex-mulher e tá ameaçando que vai matar. O cara descobriu que foi traído. Sabe como é, né? Homem chifrado..._riu.
Aquela frase só poderia ser uma ironia com minha atual situação de vida. As pessoas estavam horrorizadas, mas eu sabia exatamente o desespero que aquele homem sentia. Alice tirou de mim todo e qualquer sentimento bom que havia por ela, só restou um nojo muito grande e uma raiva incalculável.
_Voltem todos ao trabalho._ordenei e ao som da minha voz grave e alta, eles se assustaram e se viraram.Uns me olharam de cima abaixo e se surpreenderam com meu novo visual. Eu decidira aquela manhã colocar um terno preto e óculos escuros. Meu cabelo raspado de máquina e o topete na frente era a mudança final. Queria que as pessoas percebessem que agora eu era outro.
Sentei à minha mesa e peguei o jornal para ler. Eu tinha que voltar à realidade de trabalho, senão enlouqueceria. Uma matéria me ateve a atenção. Agora era permitida, no Brasil, a ortotanásia, que dá o direito aos médicos de desligar os aparelhos daqueles que estão em estado vegetativo. Pensei em Alice, apesar da grande mágoa, eu não seria capaz de permitir que lhe tirassem os aparelhos que a mantinham viva, mas também não tinha mais a mesma motivação de esperar que acordasse.
Minha secretária entrou, com minha agenda diária. Antes, pediu licença para dizer que lamentava muito que Guimarães tivesse saído do escritório e esperou de mim qualquer explicação para aquilo, que não dei. Não queria mais que ninguém soubesse da minha vida, ou da minha intimidade. Eu seria apenas trabalho.
Chegando em casa, só quem me recebeu foi meu cachorro. Fiz-lhe um carinho na cabeça e larguei a pasta em cima da mesa, já posta para o jantar. Só havia um único prato.
_Você não vai fazer nada para impedir?_ Fátima apareceu na sala com o semblante de tristeza._ Daniela já fez as malas.
Meu coração descompassou.
_É?
_Não vai falar com ela?
_Estou cansado, vou tomar banho. _ caminhei para o meu quarto.
Ao retornar à sala, ouvi um barulho de carro, pensei que ela já estivesse indo embora, caminhei até a janela e afastei a cortina. Era apenas um táxi que chegara.
Daniela atravessou a sala com as malas. Olhou-me nos olhos por uns segundos, depois abaixou a cabeça e saiu. Eu fiquei ali parado, fixo, sentindo aquele processo cirúrgico sendo feito no meu coração. Quando Daniela entrou no carro, um nó se fez na minha garganta. Engoli em seco. Tirei uma das mãos do bolso e limpei a lágrima que desceu pela face direita. Uma parte de mim acabava de ter sido arrancada e meu corpo reagia sozinho a isso. Não senti a menor fome para jantar.
Sentei no sofá com uma garrafa apoiada no joelho. Bebi no gargalo e senti minha garganta quente com o álcool. Olhei para o lugar onde fizemos amor à primeira vez, entre as almofadas. Ela estava em todos os cantos que eu olhava. Tomei a decisão de que também sairia urgentemente dali, precisava me livrar daquelas recordações. Queria ficar livre da memória de todos que me traíram.

6 comentários:

aalinee disse...

Que dó do ricardo.


:(

Tati Martins disse...

Achei bacana vc relacionar a Ortotanásia cm o caso da Alice, tá de olho no acontecimento heim amiga!

Eh foda, msm dor de corno é uma merda, é uma dor mesmo!
Mas como ele é o mocinho vai se superar!
BjOs

Soraia disse...

Poxa, mas a Dani não traiu ele!

ThAíS! disse...

O Ricardo nãaaaao merece!! Nem a Dani!
Imprimi, levei para casa e agora estou desesperada para ler mais!!

eliane disse...

thaís, minha querida leitora, é um prazer enorme ter você lendo esse livro também. te adoro linda! beijos.

B. disse...

Antes, pediu licença para dizer que lamentava muito que "Ricardo" tivesse saído do escritório e esperou.

Tem um erro ai tem que trocar Ricardo por Guimarões.