16.10.06

Capítulo 27 : [continuação] (Daniela)

Fátima estava empenhada na tarefa de cuidar de mim, com uma semana de sopinhas e mimos eu já estava novinha. Só reclamava que eu não devia ficar para lá e para cá pela casa com aquele gesso pesado.

Ricardo também tornou-se seu filho mais que nunca. Alice não acordara e ele se desdobrava no trabalho, mas ao chegar em casa sempre era obrigado por nós duas a se alimentar e dormir.

O outro que passou a frequentar mais a casa, para manter nosso pacto, foi Guimarães, esse sim muito mais abatido. Mas eu não queria pensar sobre ele, apenas sobre o meu futuro. E falando no amanhã, eu não sossegara até que Fátima atendesse meu pedido. Eu queria que ela jogasse as cartas para mim. Desde que descobri que ela era neta de uma cigana, a importunei.

Numa noite, em que eu estava na sala, lendo no sofá, ela sentou-se à minha frente com o bolo de cartas nas mãos. Senti um frio na barriga e sorri. Ela com seus anéis grandes embaralhou tudo calmamente. Eu não atrapalhei sua concentração e sentei prontamente.

_Dani, você queria saber como ficará sua situação com o Guimarães..._ ela dispôs o baralho e pediu para eu puxar três cartas. Escolhi uma do meio, outra da ponta e mais uma do meio._... Esse é o namorado._ virou uma carta de um cupido e um homem entre duas mulheres._ Você está entre o ciúme e a inveja. Entre o prazer e a moral. Isso vai te pedir muitas forças para se equilibrar..._ Virou mais uma carta._Essa carta é o sol e esses dois gêmeos representam o princípio feminino e masculino. Você vai começar a viver um momento tranqüilo e calmo na sua vida.

_Que bom!_ sorri e fiquei aguardando ansiosa pela terceira carta, que parece não ter agradado Fátima._ O que está vendo aí? Morte? É a minha irmã? Fala?

_Dani, esse momento bom vai passar...

_Para variar..._ comentei irônica.

_E virá uma separação.

_Outra? Mas com quem?

_Você vai se apaixonar por alguém e vai ter um fim bastante doloroso. Deve estar atenta à presença de uma oponente não muito brilhante, mas que está profundamente empenhado em atingi-la.

_Deve ser o Guimarães, a Alice e...

Fátima recolheu as cartas, assim que Ricardo chegou na sala. Tentou disfarçar, mas ele percebeu o que fazíamos.

_Ela também tirou para você?_ Ele sentou-se ao meu lado depois que Fátima passou direto para a cozinha.

_É, mas vem coisa ruim por aí._ comentei com medo.

_Não pensa assim._ ele virou o rosto para o meu lado. _Qual carta te deixou tão abalada?

_Era o cavaleiro de paus anunciando separação... E não era do Guimarães...

_Eiii como você é rápida! Já arrumou outro e nem nos contou?_ ridicularizou.

_Nãoooo!_ empurrei seu braço. _ Agora fala aí o que ela disse para você?

_Que eu ia ficar melhor depois de tudo isso e que ia ficar bem amorosamente. Bom, quem sabe Alice acorde e...

_Mas era a Alice que estava nas cartas...

_Sei lá..._ deu de ombros._ A Fátima não disse nada.

Eu não sei, algo estava mal explicado. Fátima saíra rápido demais de perto de nós. Acho que alguma coisa naquelas cartas ela não quis nos contar.

_Eu estou cansada._ deitei novamente e fechei os olhos._ Eu gostaria de ser uma menina de 5 anos... queria que meu pai me levasse no colo para o quarto..._ sonhei alto.

_Será que eu tenho a cara de já ser tão velho?_ Ricardo levantou-se e se inclinou para me pegar no colo.

_Não... Não faz isso..._ pedi, esperneando.

_Calma!Calma, senão vai cair!_ pediu comigo suspensa no ar. A falta da gravidade me trazia insegurança.

_Não precisa..._ falei, mas já estava me carregando até o meu quarto.

_Eu tenho que treinar, para quando minha filha crescer..._ ele disse e eu não relutei mais.

Chegando perto da cama, ele me deixou sobre o colchão.

_Vai ficar tudo bem..._ ele se inclinou para me dar um beijo, quando eu ia arrumar o travesseiro embaixo da minha cabeça, meus lábios encostaram perto da sua boca sem querer. Ele virou e me beijou a maçã direita do rosto.

_Você é um bom pai._ disse docemente.

_E você está sendo uma ótima companhia nestes últimos dias... Eu não sei como ficaria se tivesse sozinho...

_Conta comigo..._segurei sua mão e meus olhos ficaram pesados. Não sei por quanto tempo ele ficou ali me olhando.

3 comentários:

Ana Paula disse...

Li!!!! aiaiai!!!!! o que vai acontecer com a Danny ???? aiai!! até cortei as unhas para não rê-las de ansiedade pelo próximo capítulo!!!! hauhauhauha!!!!!! ta demais essa história, mas o que vai acontecer ????que curiosidade!!!!!!

Emmanuel disse...

Li, Finalmente consegui chegar no capítulo atual... Esta história promete... E como diz a Ana Paula dá vontade de roer as unhas para saber o final... Já pensou em escrever um triller policial? Com sua facilidade em tramar diálogos e enredos é livro para lermos de um só folêgo... =))) bjs

aalinee disse...

ohhh céus, a estória ta tão doce, tão doce...e na minha opinião está cada vez mais madura...segura..tá ótima...
me avisa tá?!
:)beijos