10.10.06

Capítulo 26: (Ricardo)

Quando cheguei ao hospital, o primeiro que vi foi Guimarães, sentado na sala de emergência, com a cabeça enfiada nas mãos. Aquilo não me parecia nada bem. Vendo meu ar de desesperado, logo ele fez sinal para eu me acalmar e sentar também. Explicou que Alice estava em coma e Daniela parecia se recuperar bem.

_Meu Deus, como isso foi acontecer?_ perguntei ainda sob o efeito da notícia.

Conseguimos autorização para ver Alice, que realmente estava em coma, no sono mais profundo possível. Passei a mão em seu rosto e fiquei pensando de repente que a nossa vida não ia bem, que eu estava encarando tudo como uma grande obrigação. Eu sei que não é a hora, nem o momento de sentir isso, mas esse sentimento veio junto com a culpa. Uma culpa infundada, como se ela não estivesse que estar ali, nós não tivéssemos que estar vivendo isso tudo. Ricardo percebeu que eu estava estafado e pediu para eu ir até em casa comer alguma coisa. Ele se prontificara a ficar.

_Pô, cara, nem sei como te agradecer!_ Abracei-o._ Você é como um irmão para mim. Obrigado por ter essa consideração pela Alice, ela nem é nada sua...
_Que isso!
_Eu vou ver a Daniela._ comuniquei e sai do quarto.

O corredor longo me levou até um outro quarto, onde Daniela estava jantando.
_Nem me esperou para o banquete?_ironizei e ela sorriu ao me ver. Estava com a mão enfaixada e a perna direita engessada, mas parecia muito bem, para quem sobreviveu ao acidente.
_Que bom que está aqui._ ela pegou a minha mão e eu me inclinei para dar um beijo na sua testa._ Vocês quase me matam de susto.
_Eu cheguei a pensar que...
_Psiuuu. Não fala nada._ pedi falando baixinho.
_Tive medo do carro explodir...
_Mas agora está segura._ lembrei-a e seus olhos azuis ficaram me fitando.
_Hoje, eu vejo que morrer faz diferença, eu ainda tenho tanta coisa para viver.
_Claro que tem! Ainda vai casar, ter uma família... Não é hora de fazer às pazes com Guimarães? Ele está sendo muito legal. Agora está lá com Alice.
_Está é? Hum... _ virou o rosto para o lado.
_Hei?! Você não está agora com ciúme da sua irmã, né?_ ri._ Ela está em coma..._ contei e isso não era engraçado.
_Eu não estou bem..._ ela passou as mãos nos olhos e vi que estava chorando.
_Que foi? Quer que eu chame o médico?
_Não, não é nada. Só estou um pouco abalada.
_Oh, não fica assim. _abracei-a e beijei sua cabeça, parecia tão frágil._Vou te levar para casa logo, logo, tá?_ falei bem perto do seu rosto.
_Obrigada._ ela tocou-me as bochechas com a mão fria._Você não merece nada disso.
_Hei, eu sou forte, não se preocupe._ sorri.
_Eu sei que é. _ ela ficou me analisando em silêncio.

4 comentários:

aalinee disse...

Nossa, muito bom...levei um tempinho mas li todo...tudo até agora...e to ansiosa pra saber como vai continuar...
Me da um aviso no meu blog quando tiver capítulo novo?!
:)
abraço.

Mercia disse...

coitado do Ricardo, ele não merece isso!!!!
estou adorando! Beijos!

Nani disse...

to amando ler o que vc ta escrevendo, é mto bom

Ana Paula disse...

caramba... cada vez mais emocionanda heim Li!!!! to amando!! bjus!!